Buscar

Ninguém vai acreditar

Atualizado: Fev 4

Sigo em Alto Paraíso, Goiás. E uns dias atrás fui visitar um amigo em Cavalcante, aqui pertinho. Ao lado de Cavalcante fica Kalunga, a maior comunidade quilombola do Brasil, que abriga algumas das cachoeiras mais lindas da região.


Conhecemos lugares incríveis por lá, mas o que mais me impressionou não foram as cachoeiras de água azul ou as vistas de perder o ar, e sim algo que aconteceu enquanto esperávamos na sombra de uma árvore o pau de arara (caminhonete com bancos na caçamba) vir nos buscar entre uma trilha e outra.


Estávamos sendo guiados pela Luciana, de 28 anos, nascida na região do Vão das Almas, mãe de 3 filhas. Devia fazer já uns 20 minutos que estávamos esperando quando ela se afastou e foi pegar pau doce para provarmos. É tipo uma cana de açúcar, um galho que descascamos e comemos, bem docinho.


Nesse meio tempo em que comíamos o pau doce um inseto, que achei que fosse uma mosca, começou a arrodear a Luciana. Eu normalmente ficaria incomodado e tentaria espantar o bicho, mas ela fez diferente: estendeu a mão e o bichinho pousou nela. Não só isso, ela começou a, discretamente, conversar com o que eu percebi ser, na verdade, uma abelha.


A abelha pousava na sua mão e logo voava, pousava de novo e logo voava. E nisso a Luciana disse bem baixinho “onde tá o seu melzinho? cadê o seu melzinho?”


Achei a cena bonita, um contato diferente do que eu costumo ter com abelhas. Nisso passou um tempo (1 ou 2 minutos) e a abelha voltou. Pousou de novo no braço da Luciana e logo voou. Uns segundos depois Luciana falou alto e surpresa:


“Ela trouxe! Eu perguntei onde tava e ela trouxe o melzinho!”


E lá estava, um filete de mel, fino como um risco de caneta, um ou dois centímetros de comprimento, brilhante no braço negro de Luciana.


“Não gosto de contar isso pras pessoas porque ninguém acredita e depois ficam caçoando de mim”, ela falou. Mas eu estava lá, Luciana. Eu vi. E acredito cada dia mais no poder da comunicação - quando falamos com o coração nossa mensagem chega longe.


❤️


E você, tem alguma história que ninguém acredita? Conta pra mim!!

71 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo

COMPRAR

SOBRE JULIANO POETA

FOLLOW ME

  • Instagram
  • YouTube
Medium-logo.png

INSCREVA-SE

Nome da empresa: JULIANO POETA, CPF 027.735.350-57 - Endereço Comercial Servidão Pedro Edmundo Bittencourt, 488, Florianópolis - SC.

Telefone para contato: 48 99110-1212. E-mail: oipoetajuliano@gmail.com 

Data estimada da entrega dos produtos: em até 15 dias úteis após a compra.